logo clinica naturale Varizes Info logo varizes Clínica Naturale I - São Paulo
Av. Moema , 87 cj 51-52
Moema – São Paulo
Parking : Al. dos Jurupis 452
Fone: 11 50511075
Clínica Naturale II - Interior
Avenida Antonio Ometto, 525
Limeira – São Paulo
Fone 19 34538490
diretor medico
Informações sobre varizes para pacientes e profissionais de saúde
Informations about varicose and spider veins for patients and health professionals
Information à propos des varices et des télangiectasies pour patients et profissionnelles de la santé
HOME A Clínica Médicos Agendamento Hospitais Email Aesthetic News Search
  O que são ?
  Os tipos
  Porque aparecem ?
  Complicações
  Prevenção
  Perguntas e Respostas
  Vasos da Face
  Tratamentos de Varizes
  Escleroterapia
  Crioescleroterapia
  Laser para vasos
  Microcirurgia
  Cirurgia a Laser
  Cirurgia de Varizes
  TCV- Manutenção
  Tratamento - Vasos face
  Texto Completo
  Pesquisas
  História das Varizes
  Setor Médico
  Referências Científicas

Porque as Varizes aparecem ?

O defeito nas veias das pessoas que têm varizes está nas válvulas e nas paredes das veias. Existem dois tipos de veias nos membros inferiores, as veias superficiais que ficam sob a pele, na camada de gordura e que podem ser visíveis e existem as veias profundas que ficam no meio da musculatura da perna e não são visíveis, e existem ainda as veias comunicantes, que ligam as veias superficiais e profundas. As válvulas orientam o sangue nas veias dos membros, sempre da veia superficial para a profunda, através da veia comunicante, e impedem que o sangue faça o caminho errado, descendo pelas veias, quando a pessoa está de pé ou sentada.

As artérias levam o sangue do coração para todo o corpo. O sangue então, depois de oxigenar e alimentar as células, retorna para o coração através das veias. Quando a pessoa está em pé ou sentada, o sangue vai para o pé com facilidade, porque o coração impulsiona e, além disso, para baixo é mais fácil. Mas, como o sangue retorna, se na perna não há coração? - Quando se está em pé parado ou sentado, existe mesmo uma certa dificuldade para o sangue voltar para o coração. Nas pessoas em que as veias têm válvulas e paredes normais o sangue aguarda a oportunidade de voltar, sem causar nenhuma alteração. Nas pessoas em que as válvulas estão doentes acontece, então, uma inversão no caminho do sangue, que passa a ir de cima para baixo e da veia profunda para a superficial. Este fato provoca um aumento do volume sanguíneo dentro da veia superficial, ocorrendo o processo de dilatação e aparecimento das varizes.O sangue volta para o coração através do coração periférico, que na verdade, existe. É a musculatura da panturrilha ("batata da perna"). Mas este coração só funciona quando nos movimentamos, contraindo e relaxando o músculo da perna. Quando os músculos se contraem, impulsionam o sangue para cima realizando a circulação.

O Papel das Veias Safenas

Nós possuímos 4 veias Safenas, 2 em cada membro, a Safena Magna e a Safena Parva. A Safena Magna é uma veia que vai desde a parte interna do tornozelo até a virilha, correndo pela parte de dentro da perna e coxa. A Safena Parva vai desde a parte lateral do tornozelo, até o joelho, correndo pela parte posterior da perna. Esta veia ficou famosa pela chamada operação de "ponte de safena", que é uma cirurgia do coração, que nada tem a ver com as varizes. As veias safenas são pouco importantes para a circulação normal da perna, e por isso podem ser retiradas sem problemas. Mas como são veias superficiais, de fácil acesso, extensas, e de bom calibre, com paredes espessas, são retiradas para substituir outros vasos ocluídos, como as coronárias, artérias principais do coração. As safenas são então uma espécie de "estepe" de vasos do corpo.

Entretanto, as veias safenas têm ligação com todas as veias da superfície da perna, e freqüentemente estão envolvidas na doença varizes. Quando isto ocorre, elas ficam muito dilatadas, e necessitam ser retiradas. O médico tem sempre o cuidado de não retirar todas as quatro, retira apenas as mais doentes, deixando algumas, que estão perfeitas, ou pouco doentes, para a eventualidade de ser necessário em cirurgias cardíacas, ou mesmo para substituir um outro vaso importante do corpo que esteja alterado, ou que sofreu um corte como em um acidente, por exemplo.

Todas as veias dos membros estão interligadas. É como se fosse uma árvore, onde as safenas são as raízes , os seus ramos são os troncos, as microvarizes, são os galhos , e os vasinhos são as folhas .

No tratamento é importante identificar onde está o problema, e tratar todas as áreas que estão envolvidas, para se obter um resultado prolongado. Se forem só os vasinhos, as "folhas" que estão acometidos, então só eles serão tratados. Se as microvarizes, "os galhos", também estão, então devem ser também tratados, do contrário nascerão novas folhas. Se as "raízes", as safenas estão doentes, ou estão seus ramos os "troncos", então todos devem ser tratados.

Por este motivo, um exame clínico detalhado deve ser feito pelo médico especialista na consulta inicial, que vai determinar os caminhos que o sangue segue, e conhecendo o tipo das varizes, vai propor o tratamento melhor. Se necessário o médico vai solicitar ultra-som, pletismografia ou mesmo radiografias ou angioressonância para bem avaliar as alterações e programar o tratamento. Mas os médicos mais experientes, com o simples exame clínico, já diagnosticam e sabem exatamente o que fazer para melhorar, tanto os problemas estéticos, como a doença.

Ficar em pé e sentado são as posições que mais favorecem o aparecimento de varizes.

As posições que favorecem o aparecimento de varizes são ficar em pé parado ou sentado. Como já vimos, nestas posições existe dificuldade para a circulação de retorno e é justamente quando as varizes aparecem. Estando em movimento fazemos funcionar o coração periférico, que impulsiona o sangue para cima evitando o aparecimento de varizes e quando estamos deitados o coração fica no mesmo nível da perna, o que facilita o retorno do sangue, se estivermos com os pés elevados, o coração fica para baixo e os pés para cima e o retorno sanguíneo então é muito favorecido.

Porque aparecem veias de vários tamanhos desde os vasinhos da pele até as grossas veias

Quando as veias maiores da superfície se dilatam, temos o aparecimento das grandes varizes, chamadas de grosso calibre. Quando são ramos destas veias que se dilatam, ou na fase inicial da doença, temos as chamadas microvarizes, que são trajetos azulados vistos sob a pele. Quando são as veias da própria pele que se dilatam, temos os vasinhos, cujo nome técnico é telangiectasia. Telangiectasia significa: tele é longe, angio é vaso e ectasia é dilatação, portanto, dilatação do vaso distante.

As veias safenas são as veias superficiais principais, e estão envolvidas no processo de aparecimento de varizes. Como já vimos existem duas em cada perna, a safena magna e a safena parva.

Existe comunicação entre as varizes, microvarizes e "vasinhos", tudo ocorre como se fosse uma rede, que transmite a pressão do volume de sangue. Quem dilata primeiro é que recebe maior volume de sangue no sentido errado (de cima para baixo e de dentro para fora, o inverso do normal, de baixo para cima e de fora para dentro), ou onde o sangue fica mais represado. A veia da pele gera o "vasinho". Quando se dilatam as microveias, aparecem as microvarizes e quando se dilatam as veias superficiais maiores levam ao aparecimento das varizes. Se o refluxo (caminho inverso do sangue) ou o acúmulo de sangue atinge só uma parte das veias, só estas se dilatarão, se atinge todas, todas dilatarão.

Se o refluxo ocorre só na pele, teremos os vasinhos, então para tratar, basta cuidar destes pequenos vasos. Mas se uma veia provoca refluxo para a pele, esta cria os vasinhos para acomodar o sangue. O tratamento então é retirar os vasinhos, mas também a veia que provoca o refluxo ou acúmulo. Este quadro é chamado de "telangiectasias combinadas", que são os vasinhos ligados a uma veia, e os dois com alterações. Este processo é muito amplo nos membros, podendo haver acúmulo e refluxo atingindo vários tipos de vasos, ao mesmo tempo ou isoladamente. Assim uma safena pode provocar refluxo para as veias da pele, ou refluxo para as colaterais, e dependendo do que dilatar teremos os diversos tipos de varizes.

É muito importante um exame inicial cuidadoso do médico, antes de qualquer tratamento, porque ele vai identificar pelo exame clínico ou com aparelhos de ultra-som estes caminhos que acontecem na árvore venosa, identificar se há problemas nas safenas (raízes), nas colaterais (troncos), nas reticulares ou microvarizes(galhos) e nas telangiectasias ou vasinhos ( folhas). Uma vez identificado, vai propor as melhores opções de tratamento, considerando a doença e a estética.

As varizes têm vários graus de comprometimento da saúde, mas existem também questões estéticas envolvidas.

As varizes do TIPO 1 são varizes leves que não expõem os seus portadores a risco de complicações imediatas, embora possam provocar manchas e sangramentos no futuro e são as de interesse maior estético.

As do tipo 2, estéticas e funcionais e 3, funcionais, podem ser leves ou graves dependendo do grau de acometimento. Mas mesmo que estejam entre as leves, a doença já está presente, prenunciando problemas para o futuro, e assim devem ser tratadas, sempre que possível.

As do tipo 4 são as varizes graves são as que podem provocar sérias complicações, como, tromboflebite, embolias, edemas, eczema, úlceras (feridas) e hemorragia. São um sério problema, que, às vezes não se manifesta por muitos anos. O aparecimento das complicações levam o paciente a incapacidades e até mesmo, quando ocorrem tromboflebites e embolias, ao risco de vida. Entretanto, mesmo estas varizes de maior gravidade podem ser tratadas com técnicas modernas que realizam a sua correção com mínimas cicatrizes e marcas.

As varizes leves podem ser tratadas de acordo com o desejo do próprio paciente e com a orientação do médico. Já as varizes graves devem ser tratadas sempre que possível. O tratamento das varizes leves quando realizado, apesar de não ser imediatamente necessário do ponto de vista de saúde, não é inútil, porque estas varizes que agora configuram um problema que atinge mais a auto-estima do paciente, serão doença no futuro, e além do que embora raramente, podem apresentar complicações. Então o tratamento estético de varizes, é, além de um cuidado com a aparência, um tratamento de uma doença. Tratar as varizes estéticas é "unir o útil ao agradável". Agradável é melhorar a aparência e a auto estima, útil é controlar uma doença que pode causar complicações no futuro.

Telangiectasias - vasinhos como aparecem?

As varizes tem várias manifestações desde pequenas até as grandes varizes. Abaixo de maneira simplificada podemos entender o processo de formação das desagradáveis telangiectasias e microvarizes, que são pequenas varizes da pele e da transição entre a pele e o tecido gorduroso dos membros inferiores. É uma situação muito frequente em mulheres adultas.

varizes da pele varizes da pele - microcirculação varizes da pele A pele é um território microcirculatório. É onde se desenvolvem as telangiectasias, que são pequenas veias, com tamanhos e cores que variam do vermelho ao azul, um pouco maiores ou menores do que um fino fio de cabelo. As telangiectasias são a manifestação na pele , da doença venosa crônica, ou varizes de membros inferiores. Elas surgem porque o sangue reflui, ou seja caminha em sentido contrário ao que deveria , aumentando a pressão dentro das microveias e provocando uma dilatação, que faz com que a microveia aumente de tamanho e passe a ser visível.
a formação das pequenas varizes Os vasos na pele se distribuem em vários níveis. Os mais superficiais , são mais finos e mais avermelhados e estão mais próximos dos capilares. Mas não são os capilares, são veias muito pequenas da pele. Os mais profundos são mais azulados e um pouco mais calibrosos. Também são pequenas veias, mas mais distantes dos capilares. Sob a pele , ficam veias coletoras normais, chamadas veias reticulares , que quando se dilatam são chamadas microvarizes. Não estão na pele , e sim na transição entre a pele e o tecido gorduroso.
As telangiectasias ( vasinhos da pele) e as microvarizes (pequenas varizes sob a pele) se formam por vários mecanismos. Mas de uma forma geral é o refluxo do sangue que ocorre proveniente de algum lugar e em direção a um setor normal da circulação venosa. Abaixo algumas possibilidades, apresentadas de forma didática.
formação das telangiectasias Uma veia com problemas, uma veia perfurante, que vem do sistema venoso profundo, aumenta a pressão nos vasos situados na pele, assim aparecem telangiectasias azuis .
As telangiectasias - vasinhos se formam por diversos motivos: neste caso o refluxo de sangie se deu através de uma microvarizes  (82kb) Uma veia reticular com refluxo, transmite pressão para veia do plexo superficial e profundo da pele. Assim surgem microvarizes, e telangiectasias vermelhas e azuis.
As telangiectasias - vasinhos se formam por diversos motivos: neste caso o refluxo de sangie se deu através de uma veia colateral de uma safena doente (78kb) Grandes varizes do subcutâneo tem refluxo para veias reticulares e do plexo superficial e profundo da pele. Surgem varizes, microvarizes e telangiectasias vermelhas e azuis.
As telangiectasias - vasinhos se formam por diversos motivos: neste caso o refluxo de sangue se deu através de uma veia perfurante comunicante, de dentro da perna para uma microvarizes e daí para a pele  (77kb) Uma veia que vem do sistema venoso profundo, uma perfurante, transmite refluxo para uma veia reticular e veias do plexo profundo da pele. Aparecem microvarizes e telangiectasias azuis .
As telangiectasias - vasinhos se formam por diversos motivos: neste caso os vasinhos se formaram por causa de uma fístula, uma comunicação entre a artéria e a veia, que aumentou muito o fluxo sanguíneo. isto pode ocorrer em qualquer parte do corpo, mas é mais frequente na face (83kb) Uma fístula arterio venosa, uma comunicação direta entre o sistema arterial e venoso produz um aumento de pressão e o aparecimento de telangiectasias em forma de aranha. Esta situação é mais frequente na face e explica o aparecimento de vasos , principalmente no nariz, local onde as fístulas são mais frequentes.
As Varizes de Membros Iinferiores tem muitas manifestações e varios tipos e portanto tem vários mecanismos para se desenvolver. O Médico Especialista em Cirurgia Vascular vai analisar o quadro do paciente e determinar as causas prováveis do surgimento das varizes e micro-varizes e assim escolher a técnica para tratar os problemas estéticos e funcionais decorrentes do refluxo venoso.

 

Seguimos os  princípios do código de conduta Web de medicina e saúde. A informação é oferecida para  educação , não necessariamente  são técnicas praticadas na Clínica Naturale. Não substitui opinião médica em atendimento formal. Se você tem um  problema de saúde, contacte seu médico . O objetivo do ato médico, como em toda a prática médica, constitui-se da obrigação de meio e não de fim ou resultado. Informações e textos são produzidos por médicos da Clínica Naturale e não recebem fundos ou propaganda de qualquer empresa ou pessoa. O site é custeado pela própria clínica. Adaptado ao decreto CFM 1974/2011 que regulamenta comunicação médica e não permite fotos antes /depois de procedimentos . Fotos e desenhos  são meramente ilustrativos. Direitos são reservados. A publicação e redistribuição de qualquer conteúdo é proibida sem prévio consentimento. copyright © 1998-2012 Clínica Naturale. last actualization: